Galo e Coelho duelam no Mineirão contra os jejuns

Veja o conteúdo original na SuperFC Jornal O Tempo

Se o Mineirão se tornou, historicamente, a casa do Atlético durante 45 anos, os cômodos precisam de uma faxina. A tão aclamada volta do Galo ao Gigante da Pampulha, agora na gestão do presidente Sérgio Sette Câmara, é marcada por um retrospecto recente ruim. Diante do América, neste domingo (17), às 16h, em briga direta pela liderança do Campeonato Mineiro, o alvinegro busca uma vitória que só alcançou uma vez nos últimos dez jogos que disputou no estádio.

Esse triunfo solitário veio em um clássico contra o Cruzeiro, por 3 a 1, pelo Campeonato Brasileiro de 2017. Além disso, foram cinco empates e quatro derrotas. Nesse bolo, dois resultados marcantes – 0 a 0 com o Jorge Wilstermann e a eliminação Copa da Libertadores em 2017 e a recente derrota para o Cerro Porteño, pela mesma competição.

Recortando o balanço para jogos nos quais o Atlético foi mandante no Mineirão, são 15 vitórias em 25 jogos no geral. Porém, o retrospecto das cinco últimas apresentações dão o tom da relação infrutífera recente do Galo no local: uma vitória, um empate e três derrotas. Retrospecto ruim como mandante – a única vitória nessa série foi justamente em cima do Coelho, por 4 a 1, em fevereiro de 2017.

Público e jejum. No dia em que baterá a marca de 1 milhão de torcedores presentes – considerando partidas como mandante –, o Atlético encara o América, que amarga um longo jejum de vitórias em clássicos.

Desde a final do Mineiro de 2016, também com o técnico Givanildo Oliveira no comando, quando venceu o Galo no Horto e empatou no Mineirão, o América não sabe o que é derrotar Cruzeiro ou Atlético. São 18 partidas, com sete derrotas e dois empates diante dos alvinegros, seis tropeços e três placares de igualdade contra os celestes.

Liderança

De olho na liderança do Campeonato Mineiro, o América finalizou, na manhã desse sábado (16), a preparação para o clássico deste domingo (17), quando o Coelho visita o Atlético, no Mineirão. A atividade começou com um trabalho físico e, em seguida, houve o tradicional rachão, sob os olhares do técnico Givanildo Oliveira. 

Treinos do Atlético são fechados à imprensa

O técnico Levir Culpi comandou nesse sábado (16) um trabalho tático na Cidade do Galo, no último treino antes do clássico deste domingo, contra o América, pelo Campeonato Mineiro. A atividade foi fechada para a imprensa. Em clima de mistério sobre a escalação, a tendência é o técnico manter a mudança que efetuou no treino coletivo de sexta-feira, quando Levir Culpi sacou Patric e Elias da equipe. Guga entrou na vaga de Patric, e David Terans foi escalado aberto pela esquerda na posição ocupada por Elias nos últimos jogos do Atlético na Copa Libertadores.

A escalação dos titulares foi composta por Victor; Guga, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Adilson, Zé Welison, Luan, Juan Cazares e David Terans; Ricardo Oliveira. O colombiano Yimmi Chará deve permanecer na reserva.