Sada Cruzeiro volta a perder para o Sesi-SP e deixa escapar a liderança

Veja o conteúdo original na SuperFC Jornal O Tempo

Quem vencer garantiria a liderança da primeira fase da Superliga. E o Sesi-SP segue como aquela “pedra no tênis” do Sada Cruzeiro. Na noite deste sábado, no ginásio do Riacho, em Contagem, pela terceira vez na temporada, o time paulista superou os mineiros, dessa vez por 3 sets a 0, parciais de 25/16, 30/28 e 25/21, mantendo a invencibilidade que já havia sido registrada em triunfos na final da Supercopa e no turno da Superliga. De quebra, o time paulista encerrou uma sequência de 12 jogos sem derrotas da Raposa na Superliga. 

Em um jogo atípico do Cruzeiro, que acumulou muitos erros, o Sesi-SP soube explorar as brechas para vencer e ir ao mata-mata em primeiro lugar geral, com 56 pontos. Seu rival será o Vôlei Itapetininga-SP, que terminou em oitavo. A Raposa, por sua vez, vai à fase decisiva em segundo lugar, com 54 pontos, e terá como rival o Maringá-PR, sétimo colocado. As quartas de final serão disputadas no formato melhor de três, com Sesi-SP e Sada Cruzeiro com a vantagem. O mata-mata da competição já começa no próximo sábado (23). 

O jogo

Os erros cometidos pela equipe do Sada Cruzeiro contribuíram para a eficiência do Sesi-SP no primeiro set de jogo. Foram oito erros que proporcionaram pontos ao time adversário. Em contrapartida, a dobradinha Willian e Alan mostrou-se afiada e brilhou frente a um Cruzeiro, que não conseguiu imprimir seu ritmo dominante e encaixar o sistema defensivo. Os paulistas, por sua vez, foram abrindo vantagem e fecharam a primeira parcial por 25 a 16, em 24 minutos.  

O início do segundo set foi marcado por uma substituição: a entrada de Luan no lugar de Evandro, esse último o maior pontuador da etapa inicial, com três pontos. O Sesi-SP utilizou muito seus centrais Gustavão e Éder para pontuar. Todavia, acostumado às reações que são símbolos da era Marcelo Mendez, o Cruzeiro tentou se manter na cola do Sesi-SP e, mesmo com dificuldades, respondia com Sander e Luan, esse último que, com dois pontos seguidos, fez ferver o Riachão com o empate em 24 a 24. Só que na hora H do duelo, os paulistas subiram o muro e silenciaram, mais uma vez o ginásio do Riacho, com um bloqueio duplo de Alan e Éder na jogada de Sander: 30 a 28. 

O Sada Cruzeiro entrou disposto a fazer com que o terceiro set não fosse o último. Marcelo Mendez fez mais uma alteração tática, colocando Sandro no levantamento na vaga de Cachopa. No entanto, os erros, principalmente nos saques forçados, continuaram fazendo a diferença na balança. E o responsável por fechar a partida foi o oposto Alan, com 18 pontos. O Sada Cruzeiro, que não perdia por 3 sets a 0 desde a sexta rodada da Superliga, quando caiu para o Vôlei Renata, foi surpreendido em casa.